Proximidade com bairros de Campo Limpo e Capão Redondo contribui para aumento da violência em Embu

Os dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP) na segunda-feira, 25/7, apontou que nos últimos dez anos o número de homicídios na cidade de Embu das Artes teve uma redução de 86%, caindo de 197, em 2001, para 27, até junho de 2011. Ao observar a taxa de homicídio por 100 mil habitantes a redução chega a 75%, caindo de 92,46, em 2001, para 22,48, em 2011.

A segurança pública é  de responsabilidade do governo estadual, no entanto, o Governo da Cidade de Embu das Artes está fazendo diversos investimentos para melhorar ainda mais a segurança da população. Uma delas é o reforço do efetivo com a contratação de 48 guardas que já estão em treinamento. A GCM conta atualmente com 104 guardas, sendo 86 homens e 18 mulheres, além de 15 viaturas.

Mensalmente o prefeito Chico Brito se reúne com representantes das Polícias Civil e Militar, além da GCM. O objetivo dos encontros é fazer uma avaliação da segurança pública no município e promover ações conjuntas com o governo municipal que visam agilizar as investigações, promover rondas ostensivas e ações preventivas de combate à criminalidade, realizando o mapeamento dos pontos críticos da cidade. Com isso, reduzem-se ainda mais os índices de criminalidade e aumenta a sensação de segurança da população.

Sistema de Monitoramento Urbano 24 horas
Em 2010, o Governo da Cidade de Embu das Artes implantou sistema de monitoramento urbano 24 horas. Na primeira etapa do projeto foram instaladas 26 câmeras de última geração no Centro Histórico. As imagens são monitoradas por três profissionais, com auxílio de um telão de  7 metros de largura por 1,70 de altura. Até o final de agosto, serão instaladas mais 36 câmeras no Centro Expandido e mais cinco no bairro Santo Eduardo, região de forte comércio. Elas já colaboraram com as Polícias Militar e Civil na prevenção, investigação de crimes e até prisão de bandidos. Além de reduzir os índices de roubos conhecidos como “saidinhas de banco”, que praticamente zeraram no centro.





O governo municipal também  está investindo na iluminação de praças, sete desde 2009 – Jardim Laila, São Marcos, Jardim dos Moraes, Jardim Independência, Santa Tereza, Liberty e Bíblia. Além de  ruas, vielas, campos de futebol, pontos de ônibus e entradas da cidade, tornando esses locais mais seguros tanto para motoristas quanto para os pedestres.

Aliado a isso, foram desenvolvidos programas de geração de emprego e renda e investimentos em estrutura e projetos voltados ao esporte e lazer. Um exemplo é o Esporte Cidadão que incentiva a prática esportiva e dá oportunidade a mais de 10 mil crianças no município.

A Prefeitura também criou duas leis que resultaram em redução da violência na cidade e aumentaram o bem estar da população. Implantada em 2003, a Lei Seca determina que bares não poderão ficar abertos após às 23 horas. Apenas no primeiro semestre de 2011, 115 bares foram notificados. Já a Lei da Poluição Sonora, que entrou em vigor em maio de 2010, tem por objetivo combater os abusos por excesso de barulho em casas, comércios e carros. Após um ano, já foram feitas mais de 2 mil autuações, demonstrando que a GCM e a fiscalização da prefeitura estão agindo com firmeza.

Para o comandante Dirceu Alves, um fator que contribui para a violência é a proximidade que o município está de bairros como Jardim Ângela, guia do Capão Redondo e Campo Limpo, zona Sul de São Paulo, que têm alto índice de assassinato. Outro ponto importante é que Embu das Artes é cortada pela rodovia BR 116 e pelo Rodoanel, o que facilita o acesso de criminosos que abandonam corpos na cidade, aumentando as taxas de violência na cidade.

Por meio dessas ações é que Embu das Artes terá índices cada vez menores de violência promovendo maior bem estar e segurança à população.

Fonte: Portal Jornal Na Net





Deixe seu comentário