Jovem do Capão Redondo mata os pais, foge e bate carro em rodovia

Um rapaz de 21 anos matou o pai e a mãe a facadas na madrugada de ontem em um condomínio fechado em Guarulhos, na Região Metropolitana de São Paulo. Ao fugir de carro, Henrique Ramos Vieira bateu em alta velocidade em um poste na Rodovia Hélio Smidt.

Vieira foi encontrado pela polícia ensanguentado e inconsciente dentro do carro, perto da saída para o Aeroporto de Cumbica. Ele foi levado para o Hospital Geral de Guarulhos e seu quadro era estável. A previsão é de que teria alta hoje.

O rapaz saiu de casa por volta das 5h15. Os corpos de Rosimeire Ramos Vieira, de 45 anos, e Luiz Pedro Vieira, de 50, foram encontrados pela polícia na sala da casa da família, com pelo menos três perfurações: nos braços, costas e pescoço. Segundo o delegado responsável pelo caso, Fábio do Amaral Alcântara, titular do 8.º DP da cidade Guarulhos, duas facas de cozinha teriam sido usadas no crime.

Surpresos, familiares e amigos relataram que o rapaz não era agressivo e não havia histórico de brigas na família, que vive há cerca de quatro anos no Condomínio Guanambi. Afirmaram, porém, que Henrique havia consumido bebidas alcoólicas em uma festa no condomínio horas antes dos assassinatos e tinha problemas com drogas. ‘Ele seria dependente químico, aparentemente de cocaína’, informou Alcântara. O delegado pediu realização de exame toxicológico no rapaz.

Relacionamento. Outra possível motivação para o crime, segundo o delegado, seria o namoro de Vieira com uma balconista de 28 anos. A mulher, grávida de 8 meses, esteve na delegacia, mas não teve seu nome divulgado. Para a imprensa, ela se identificou apenas como Fabiana. Segundo vizinhos e parentes, os pais não aprovavam o namoro. ‘Parece que eles discutiam por causa disso, mas, com a chegada do neto, (os pais) começaram a aceitar’, disse o delegado.





Segundo a costureira Vilma Pelegrini, de 54 anos, amiga e vizinha da família, Rosimeire não gostava da nora porque ela agredia e depreciava o filho. Desde que começou a namorar, segundo familiares e amigos, ele dormia quase sempre na casa da namorada e só voltava para o condomínio dos pais quando brigava com a balconista.

O último retorno foi no domingo, após nova discussão. A briga teria sido motivada por ciúmes do ex-marido de Fabiana. A balconista afirmou em depoimento ter recebido várias ligações de Vieira entre 1h e 4h30 de ontem. Disse que não atendeu porque estava dormindo e o celular estava sem sinal.

Parentes e amigos descrevem Vieira como uma pessoa tímida, pacífica e reservada, mas carinhosa com os mais próximos. Vilma disse que ele era conhecido como ‘Capão’ – por ter morado no Capão Redondo, na zona sul de São Paulo – e tinha amigos no condomínio. Seus defeitos, segundo ela, eram não gostar de estudar e ter dificuldade para se manter em um emprego. Vilma disse suspeitar que o rapaz usasse drogas, mas nunca conseguiu confirmar.

Segundo ela, o relacionamento com a namorada, a gravidez dela e o desemprego dele o deixavam apreensivo. A costureira relata que a última vez que encontrou o rapaz foi na tarde de terça-feira. Ao passar pela piscina do condomínio, onde ele estava com um amigo, não notou nada diferente. ‘Perguntei se estava tudo bem e ele disse: ‘Tudo bem entre aspas’.’

Fonte: Aquinauas News





Deixe seu comentário